E-book: EUA processa Apple e outros editores

Segundo o jornal, o processo aponta que a Apple e as principais empresas editoriais chegaram a um acordo para suspender a concorrência

O Departamento de Justiça dos Estados Unidos abriu um processo contra a Apple e outros editores por supostas práticas de monopólio na hora de fixar os preços dos livros eletrônicos, informou nesta quarta-feira o The Wall Street Journal.

 

O Departamento de Justiça disse que às 16h00 GMT (13h00 de Brasília) fará um anúncio "significativo sobre temas de concorrência", segundo um comunicado, que não forneceu mais detalhes.

 

Segundo o jornal, o processo aponta que a Apple e as principais empresas editoriais chegaram a um acordo para suspender a concorrência nas vendas de varejo, que os preços dos livros eletrônicos ao varejo aumentarão significativamente e que a Apple terá garantido um lucro de 30% sobre cada livro vendido.

 

As autoridades europeias de livre concorrência anunciaram em dezembro a abertura de uma investigação contra a Apple e cinco editoras diante de suspeitas de que teriam chegado a "acordos ilegais ou se dedicaram a práticas que têm por alvo ou por efeito restringir a concorrência".

 

As cinco editoras supostamente envolvidas e investigadas são Hachette (Lagardere Publishing, Francia), Simon & Schuster (CBS Corp., Estados Unidos), Penguin (Pearson Group, Grã-Bretanha), Verlagsgruppe Georg von Holtzbrinck (Macmillan, Alemanha) e Harper Collins, subsidiária americana da News Corp., que é proprietária do The Wall Street Journal.

Compartilhar

Deixe seu comentário